Pianista na Italia recupera músicas compostas em campos de concentração

Um pianista italiano se dedica há anos a dura tarefa de pesquisar, divulgar e recuperar as músicas compostas em campos de concentração.

Este é um tema realmente pouco conhecido, as músicas compostas em campos de concentração. Eu mesmo me considero conhecedor da historia da segunda guerra mundial. Mas isto eu não sabia. Os prisioneiros dos campos de concentração, aqueles que eram músicos, eram usados para tocar melodias para os prisioneiros e até para os próprios soldados e oficiais alemães.

Estes músicos acabaram compondo todo tipo de obras musicais, desde pequenas canções até óperas completas. O pianista italiano Francesco Lotoro se dedica a percorrer o mundo buscando sobreviventes dos campos e tentando preservar a memoria musical deles.

Alguns antigos prisioneiros se lembram até hoje das melodias que escutavam enquanto eram transferidos ou realizavam tarefas nos campos de concentração. As músicas compostas em campos de concentração acabaram sendo uma distração para toda aquela tragedia e morte.

Franceso Lotoro se dedica há trinta anos a esta difícil tarefa. Muitas das composições originais estão escritas em pedaços de papel de todo tipo, desde papel higiênico até sacos de carvão. Incluso algumas composições eram escritas com carvão.

Ao longo de todos estes anos Lotoro conseguiu catalogar mais de 1600 compositores e 5000 obras musicais. Apenas 500 destas músicas compostas em campos de concentração estão completas.

O passo do tempo acabou destruindo muitos originais, mas também esta a historia de Rudolf Karel que morreu no campo de concentração mas as suas obras foram salvas por um soldado alemão. Ou o caso de Josef Kropinski que era um violonista Polonês que escreveu mais de 400 obras. Josef perdeu muitas delas, algumas deixadas para atrás ainda no campo de concentração, outras ele teve que queimar para poder se aquecer na viagem de volta para casa.

Ainda assim 111 obras de Josef Kropinski estão catalogadas e fazem parte do acervo de Lotoro.

“Recentemente foi lançada uma campanha internacional para recuperar mais de 10 mil músicas compostas em campos de concentração que, segundo estimativas de estudiosos, continuam desconhecidas.

“Espero conseguir em breve uma sede adequada, onde qualquer pessoa possa acessar, conhecer, reproduzir e manter vivo este rico tesouro cultural”, disse Lotoro.”

musica_recovered_form_nazi_camp_640x360_fondazioneistitutodiletteraturamusicaleconcentrazionaria_nocredit

Vi isto aqui no G1.