besouro5

O voo do besouro de Korsakov é fantástico!

Sim, eu acho o voo do besouro uma composição fantástica porque faz voar a minha imaginação até ver claramente a cena do besouro em voo alocado e caótico como deve ser. A música clássica, ou melhor, os compositores de música clássica sempre tiveram o gênio do pintor, ou do poeta, para poder transformar em música algo impossível de descrever tão bem em palavras.

O voo do besouro é um interlúdio que acontece para fechar o Ato III da ópera “A estória do Tsar Saltan” de Rimsky Korsakov, na qual um cisne mágico transforma o príncipe Gvidon Saltanovich num inseto para que possa voar até o Tsar (seu pai) que não sabe que o príncipe esta vivo. A música então acontece entre os atos e leva o espectador a imaginar ao príncipe voando para encontrar o seu pai, enquanto isso no cenário o telão esta abaixado, por tanto o espectador nada vê, somente pode imaginar a ação e é isto justamente o que acho fantástico nesta composição, o voo acontece entre um ato e outro, é a viagem do personagem de um cenário a outro. Em outro post vou falar da ópera em si que também é muito interessante. Por enquanto vamos escutando esta magistral interpretação regida pelo maestro Zubin Mehta.

Bônus. O Erick, leitor do blog e sempre atento aos posts do Cultura Clássica, ao ver este post do voo do besouro me enviou um capítulo do famoso Pica-Pau onde aparece como trilha sonora esta composição de Korsakov. Mais um exemplo de um desenho animado que usava muita música clássica. Como eu sempre digo, a nossa infância foi muito instrutiva e cheia de cultura! 😉 Desfrutem.

besouro5

Se você gostou desse post deixe seu comentário abaixo ou compartilhe. Nos ajude a divulgar a Cultura Clássica.
  • iraides madeira

    Quem já deixo seu ouvido absorto ao voo do besouro verá a obra prima que é esta música.

  • Ligia Duarte

    De forma clara e simples explicou esta preciosidade! Veja o que encontrei https://www.facebook.com/OtakureiCom/videos/1512924095463630/ – achei interessantíssima esta “batalha” entre os instrumentos clássicos e os “modernos”.

    • Pablo Pagues

      Olá Ligia,

      Excelente, muito legal esse vídeo! Obrigado por compartilhar.